O tecido desse sentir
Reflete em mim um corpo histérico e autônomo.
Tantas emoções são o vermelho
Desse cálice suportável e ávido
E o ritual incansável das minhas mãos.

...Há um espasmo da sensação,
Um fazer orgânico o excesso de sentir
Que quando é triste, escorre da face uma lágrima
E uma figura me abraça por trás e me ajuda vestir os trajes da dor.

Ao meio de mim estão todos os motivos
A esvair em gozo  o peso dos sonhos e das vestes
Para serem segundos paliativos de contemplação abstrata
E inconsciente dormir sem que ter que sonhar. 19/05/14

Leave a Reply